Primo de Saddam, Ali Químico é executado no Iraque

Notícias da morte por enforcamento chegaram pouco depois de três carros-bomba atacarem Bagdá

AP

25 de janeiro de 2010 | 12h14

Um porta-voz do governo iraquiano informa que Ali Hassan al-Majid, um primo de Saddam Hussein que ficou conhecido como "Ali Químico", foi executado nesta segunda-feira, 25, cerca de uma semana depois de  ter sido condenado à morte como responsável por ataques com gás venenoso que mataram mais de 5 mil curdos em 1988.  

 

Notícias da morte por enforcamento chegaram pouco depois de três carros-bomba terem atacado a região central da capital, Bagdá. Não ficou claro, de imediato, se os atentados representavam uma reação à morte de al-Majid.

Al-Majid havia sido condenado por ordenar o uso de gás venenoso contra a cidade curda de Halabja em 1988, como parte de uma campanha para esmagar um levante curdo.

 

Esta foi a quarta sentença de morte por crimes contra a humanidade emitida contra ele.

Tudo o que sabemos sobre:
iraquesaddampena de morteali químico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.