Procissão xiita transcorre pacificamente em Bagdá

Centenas de milhares de iraquianos xiitasparticiparam na terça-feira de uma procissão em Bagdá semincidentes, um dia depois de três mulheres-bomba terem matado35 peregrinos. As autoridades já suspenderam o toque de recolher paraveículos na capital, declarado para facilitar a segurança emmeio às cerimônias alusivas à morte do imã Al Kadham, um dos 12imãs principais do grupo xiita. "Congratulo as milhões de pessoas e os cortejos fúnebresque ocorreram na máxima organização, demonstrando grandecoordenação com as Forças Armadas", disse uma nota doprimeiro-ministro Nuri Al Maliki. O atentado de segunda-feira, aparentemente cometido pela AlQaeda sunita, não impediu que uma multidão de preto viesse detodo o Iraque para lotar as ruas de Bagdá em direção à mesquitade Kadhamiya, na zona norte. Policiais femininas revistam as mulheres que se aproximamda mesquita de Kadhamiya, mas as explosões de segunda-feiraaconteceram no centro de Bagdá, por onde muitos peregrinospassam a caminho do santuário. Os homens iraquianos ficam constrangidos em revistar asmulheres, o que leva a Al Qaeda a arregimentá-las paraatentados suicidas, escondendo facilmente explosivos sob suasroupas largas. Militares dos Estados Unidos alertam que, apesar dasegurança ter melhorado, suicidas ainda conseguem se infiltrarcom explosivos em grandes multidões. Mulheres realizaram maisde 20 atentados suicidas neste ano no Iraque. OPERAÇÃO EM DIYALA A violência no Iraque está no menor nível em quatro anos,mas as explosões desta semana mostram os desafios do governopara garantir a segurança num momento em que os EUAgradualmente retiram suas tropas. Fontes do governo dizem que está em curso uma operaçãomilitar contra a Al Qaeda na província de Diyala, onde a AlQaeda vem tentando alimentar as tensões entre sunitas e xiitas. As autoridades dizem que cerca de 10 mil soldadosparticipam da operação, iniciada com incursões em Baquba, acapital regional, 65 quilômetros a nordeste de Bagdá. Os EUAdisseram ter um envolvimento mínimo nessas ações. "O objetivo é limpar completamente a província de Diyala. OExército iraquiano vai executar essa operação", disse o generalAbdul-Kareem Al Rubaie, comandante das operações regionais. Há outra operação semelhante em curso na cidade de Mosul(norte), que já foi considerada o último reduto urbano da AlQaeda no Iraque, e onde aparentemente ainda há presença dogrupo. (Reportagem adicional de Khalid al-Ansary e MohammedAbbas)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.