Protesto deixa 2 mortos e 47 feridos no Iraque

Duas pessoas morreram e 47 ficaram feridas durante um protesto na quinta-feira em Sulaimaniya, no norte do Iraque, segundo fontes locais, apesar do apelo do primeiro-ministro Nuri al Maliki para que as manifestações sejam pacíficas.

REUTERS

17 de fevereiro de 2011 | 19h25

Houve protestos também nas cidades de Kut, Basra, Kirkuk e outras, como parte de uma série de manifestações contra governos locais e contra a escassez de alimentos e energia.

Ao contrário das revoltas em outros países do Oriente Médio, os manifestantes iraquianos não têm exigido a destituição do governo, que foi eleito nas urnas e tomou posse há menos de dois meses. Mas vários deles fazem críticas a Maliki.

"As manifestações estão protegidas, e digo aqui que as forças de segurança não estão autorizadas a usar qualquer força contra qualquer manifestação", disse Maliki numa entrevista coletiva em Bagdá.

"Digo aos manifestantes que vocês estão no seu direito, (mas) sem violência. Não permitam que arruaceiros incitem problemas ou queimem órgãos públicos, porque isso é sabotagem e corrupção."

Em Sulaimaniya, testemunhas disseram que cerca de mil manifestantes contrários ao governo local apedrejaram a sede do Partido Democrático do Curdistão, e que guardas do local reagiram a tiros.

(Reportagem de Khalid al-Ansary)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEPROTESTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.