Protesto em passagem fronteiriça de Gaza deixa 60 feridas

Desde segunda o posto fronteiriço de Rafah é palco de protestos contra o bloqueio israelense imposto à Faixa

EFE

22 de janeiro de 2008 | 14h57

Sessenta palestinas foram feridas nesta terça-feira, 22,  pela Polícia egípcia quando participavam de um protesto para pedir a abertura da passagem fronteiriça de Rafah, no sul de Gaza, informaram fontes palestinas.   Veja Também:   Israel alivia bloqueio e Faixa de Gaza volta a ter luz Conselho de Segurança analisa bloqueio           O chefe do serviço de urgência do Ministério da Saúde em Gaza, Moawiya Hasanín, confirmou que pelo menos 60 palestinas foram feridas no episódio e que outras 15 foram detidas pelas autoridades egípcias após tentarem atravessar a passagem.     Desde segunda-feira o posto fronteiriço de Rafah é palco de protestos contra o bloqueio israelense imposto à Faixa de Gaza, estabelecido na quinta passada em resposta aos ataques com foguetes protagonizados por milícias palestinas.       A passagem, que era controlado pela Autoridade Nacional Palestina (ANP), permanece completamente fechada desde junho de 2007, quando o Hamas tomou o controle de Gaza.     Testemunhas relataram que algumas manifestantes tentaram forçar hoje a entrada em território egípcio e que a Polícia do país vizinho usou cassetetes e jatos de água para dispersar a multidão.     Também informaram que foram dados tiros para o ar e que pelo menos quatro das feridas foram hospitalizadas. Na última hora várias mulheres tentaram recuar e retornar para Gaza, mas uma multidão de homens as impediram, pois as empurravam na direção contrária e conseguiram entrar no território egípcio, disseram as testemunhas.     A manifestação acontece depois que a maior parte da população de Gaza permanecesse sem luz durante quase 48 horas por causa da falta de combustível nas centrais elétricas por causa do bloqueio de Israel.      

Tudo o que sabemos sobre:
Faixa de GazaRafahprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.