Protestos contra papa e filme sobre Maomé deixam um morto no Líbano

Um manifestante foi morto e outros dois ficaram feridos em confrontos com as forças de segurança na cidade libanesa de Trípoli nesta sexta-feira, em protestos contra um filme que insulta o profeta muçulmano Maomé e também contra a visita do papa ao Líbano.

Reuters

14 de setembro de 2012 | 11h53

Uma fonte de segurança disse que o homem foi morto quando os manifestantes tentaram invadir um prédio do governo. Mais cedo, o restaurante de uma cadeia norte-americana de fast food foi incendiado. Doze membros das forças de segurança foram feridos por pedras jogadas pelos manifestantes, relatou a fonte.

O filme feito nos EUA provocou protestos violentos na Líbia -- onde o embaixador dos EUA e outros três norte-americanos foram mortos -- e no Egito, Iêmen e Sudão. Há temores de que as manifestações possam se espalhar para outros países muçulmanos.

Os protestos coincidiram com a chegada do papa Bento 16 ao Líbano para uma visita de três dias.

Forças de segurança libanesas haviam aberto fogo mais cedo depois que os manifestantes incendiaram um restaurante de uma cadeia de fast food em Trípoli e atiraram pedras em um edifício estatal, gritando slogans anti-EUA e contra a visita do papa ao Líbano.

Um jornalista da Reuters no local viu centenas de manifestantes se esquivando de tiros e gás lacrimogêneo enquanto atiravam pedras contra as forças de segurança em veículos blindados. Os manifestantes gritavam "Nós não queremos o papa" e "Sem mais insultos (ao Islã)".

(Reportagem de Nazih Saddiqi)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBANOPROTESTOSMORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.