Próximas semanas serão teste para tropas dos EUA no Afeganistão

Os soldados dos Estados Unidos no Afeganistão estão se preparando para uma temporada de batalha que será crucial para determinar a escala de uma retirada inicial das tropas a partir dos próximos meses, disse uma alta autoridade governamental dos EUA.

MISSY RYAN, REUTERS

10 de maio de 2011 | 15h17

O presidente dos EUA, Barack Obama, prometeu começar em julho a retirada gradual dos 100.000 soldados norte-americanos do Afeganistão, no momento em que Washington toma medidas para acabar com uma guerra impopular cara quase uma década depois que o governo do Taliban foi derrubado.

Um alto funcionário da Defesa dos EUA, falando sob condição de anonimato, disse que as semanas até meados de junho iriam revelar em que medida a decisão de Obama de enviar mais 30 mil soldados para o Afeganistão teriam enfraquecido a insurgência afegã.

"A ação entre hoje e as primeiras semanas de junho será o verdadeiro teste para avaliar a capacidade do Taliban, após o extraordinário esforço que fizemos no ano passado" para enfraquecer o movimento, disse a autoridade em uma entrevista na semana passada.

A força da Otan tentará conter a ofensiva do Taliban e controlar áreas do sul do Afeganistão tomadas de rebeldes nos últimos 18 meses.

"Nós não sabemos o que vai acontecer, porque nunca tivemos esse número de armas antes; nunca tínhamos controlado essas áreas antes", disse.

Na semana passada, o Taliban anunciou o início de sua ofensiva anual, prometendo intensificar ataques contra tropas estrangeiras e autoridades afegãs. Essas ameaças foram reafirmadas após a morte de Osama bin Laden pelas forças dos EUA no Paquistão, há uma semana.

As tropas afegãs entraram em confronto com insurgentes do Taliban depois de ataques rebeldes no fim de semana, com granadas e homens-bomba em Kandahar, terra natal do Taliban, que tem sido o foco das operações militares desde o ano passado.

Em uma nova avaliação da guerra divulgada mês passado, o Pentágono disse que o envio de mais tropas ao longo dos últimos 18 meses - trazendo o total da força estrangeira para cerca de 130 mil homens - havia sido um golpe para o Taliban, mas a violência total havia aumentado e provavelmente continuaria a aumentar.

Essa tendência preocupante não deverá impedir os planos de Obama de iniciar uma retirada gradual em julho - provavelmente apenas uma retirada modesta - com as forças de segurança estrangeiras lentamente passando o bastão às forças afegãs.

Tudo o que sabemos sobre:
AFEGANISTAORETIRADAEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.