Putin ratifica medidas da ONU contra o Irã antes de deixar cargo

Rússia anuncia sanções para o trânsito de pessoas e cargas em lei assinada 2 dias antes da saída do presidente

Efe,

08 de maio de 2008 | 10h27

A Rússia anunciou nesta quinta-feira, 8, a aplicação das medidas contra o Irã contidas na resolução 1803 do Conselho de Segurança da ONU, referidas ao trânsito de pessoas e cargas em direção ao país. O escritório de imprensa do Kremlin indicou que o decreto foi assinado por Vladimir Putin em 5 de maio, dois dias antes de deixar a Presidência russa.   Veja também:   Maioria ratifica Putin como primeiro-ministro   A disposição proíbe o trânsito em direção ao Irã de todos os equipamentos, materiais, mercadorias e tecnologias que figuram na lista de objetos submetidos a controle de exportação, ratificada por decreto presidencial em 14 de janeiro de 2003. Além disso, proíbe a entrada na Rússia e o trânsito por seu território de pessoas incluídas no anexo 1 da resolução 1803 do Conselho de Segurança.   O decreto presidencial não afeta a cooperação da Rússia com o Irã na construção da central elétrica nuclear de Bushehr, que, segundo Moscou, se encontra sob a supervisão estrita da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).   O controle da AIEA, sustenta a Rússia, é garantia de que sua cooperação com o Irã no âmbito da energia nuclear pacífica não representa uma ameaça ao regime de não-proliferação de armas nucleares.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãRússiaVladimir Putin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.