Quarteto de paz critica plano de Israel de ampliar assentamentos

O chamado Quarteto para o Oriente Médio, formado por Rússia, Estados Unidos, União Europeia e ONU, afirmou nesta terça-feira estar alarmado com os últimos anúncios de Israel sobre planos de novas construções nos assentamentos erguidos em território ocupado.

LOUIS CHARBONNEAU, REUTERS

16 de agosto de 2011 | 15h23

Israel informou na segunda-feira ter aprovado a construção de 277 casas em um assentamento na Cisjordânia, apesar da pressão internacional e dos EUA para coibir a expansão em terras ocupadas -- e num momento em que os palestinos se preparam para solicitar na ONU o reconhecimento de seu Estado.

"O Quarteto está imensamente preocupado com os recentes anúncios de Israel de avançar no planejamento de novas unidades residenciais em Ariel e Jerusalém Oriental", afirmou o grupo mediador, em um comunicado conjunto.

O Quarteto acrescentou que "ações unilaterais de qualquer lado (Israel ou os palestinos)... não serão reconhecidas pela comunidade internacional".

"Jerusalém em especial é um dos temas centrais que devem ser resolvidos por meio de negociações entre as partes, o que demonstra a necessidade urgente das partes de retomar conversações sérias e substanciais", disse o grupo.

O comunicado acrescenta que a retomada de conversações de paz é "o único caminho para uma solução justa e duradoura do conflito".

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDISRAELASSENTAMENTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.