Rabino israelense diz que palestinos e seu líder deveriam morrer

Primeiro-ministro israelense e líder palestino devem retomar negociações diretas de paz na quinta-feira, 2, em Washington

Reuters,

29 de agosto de 2010 | 10h37

Um influente rabino israelense afirmou que Deus deveria enviar uma praga contra os palestinos e seu líder. O rabino Ovadia Yosef, líder espiritual do partido religioso Shas - que faz parte do governo - pediu a morte do líder palestino num violento sermão antes do início das negociações de paz no Oriente Médio na próxima semana.

Veja também:

especial Infográfico: As fronteiras da guerra no Oriente Médio

especial Linha do tempo: Idas e vindas das negociações de paz

forum Enquete: Qual a melhor solução para o conflito?

blog Gustavo Chacra: O Ahmadinejad de Israel

"Abu Mazen e todas essas pessoas malignas deveriam desaparecer da terra", disse o rabino, ao chamar o presidente palestino Mahmoud Abbas pelo nome popular. O sermão foi feito na noite de sábado.

 

"Deus deveria atacá-los e a esses palestinos - malvados que odeiam Israel - com a praga", declarou o rabino de 89 anos em seu sermão semanal frente a fiéis. Partes da fala foram transmitidas pelo rádio israelense no domingo.

 

O clérigo israelense fez comentários semelhantes antes. O mais conhecido foi em 2001, durante uma revolta palestina, quando pediu a aniquilação dos árabes e disse que era proibido ter piedade deles. Depois ele afirmou que estava se referindo apenas a "terroristas" que atacam os israelenses.

 

Em 1990, Yosef rompeu com líderes judeus ortodoxos, dando voz de apoio para um compromisso territorial com os palestinos.

 

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e Abbas devem retomar negociações diretas de paz na quinta-feira, 2, em Washington, na primeira reunião do tipo em 20 meses, num processo de paz que inclui compromissos de ambas as partes para evitar provocações.

Tudo o que sabemos sobre:
PalestinaAbbas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.