Reação israelense contra foguetes viola soberania, diz Líbano

Israel lançou sete projéteis contra território libanês após ser atingido; nenhum grupo assumiu autoria

Agências internacionais,

21 de fevereiro de 2009 | 10h23

O primeiro-ministro libanês, Fuad Siniora, condenou neste sábado, 21, o lançamento de três foguetes katyusha contra o norte de Israel, vindos do sul do Líbano, assim como a reação do Exército israelense, que respondeu com sete projéteis contra seu país. Segundo comunicado do escritório do premiê, os disparos contra o Líbano constituem uma "violação inaceitável e injustificável da soberania libanesa."   O governo israelense informou que uma mulher sofreu ferimentos superficiais no povoado de Maalot, perto da fronteira, depois de ter sido atingida por estilhaços de vidro provocados pela explosão do terceiro foguete. Não há registros sobre ferimentos do lado do Líbano.   "Os projéteis disparados do sul libanês ameaçam a segurança e a estabilidade do Líbano, além de violar a Resolução 1701", que pôs fim a uma guerra de 34 dias entre Israel e o grupo militante Hezbollah em 2006. Tropas de paz das Nações Unidas patrulham a região libanesa de onde os foguetes foram lançados, e o Exército libanês também afirmou ter reforçado a sua presença na área.   Durante a ofensiva israelense na Faixa de Gaza, militantes não identificados, acusados de integrarem grupos palestinos, começaram a atuar no sul libanês. Na época, eles chegaram a disparar foguetes contra o norte de Israel, mas ainda não se sabe quem estaria por trás dos ataques deste sábado. O Hezbollah negou a autoria dos ataques anteriores.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbanoIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.