Rebeldes dizem que 124 civis morreram em cidade líbia

Um porta-voz dos rebeldes no leste da Líbia disse nesta terça-feira que 124 civis morreram nos últimos nove dias de confrontos na cidade de Misrata, no oeste do país, que estava sob ataque das forças de Muammar Gaddafi.

REUTERS

29 de março de 2011 | 09h54

Ahmed Khalifa, porta-voz do movimento rebelde na cidade de Benghazi, no leste do país, disse que o número era baseado nos dados obtidos de hospitais na cidade.

Ele disse em coletiva de imprensa que os remédios estavam se esgotando, mas duas embarcações com suprimentos chegaram à cidade litorânea na segunda-feira. Ele disse que um dos barcos veio da Itália, mas não deu maiores informações.

Tanto os rebeldes como as forças leais a Gaddafi reivindicam o controle de partes de Misrata, e o combate parecia continuar na cidade violentamente disputada, a terceira maior da Líbia.

Segundo Khalifa, os rebeldes destruíram dois tanques no sul de Misrata e capturaram alguns mercenários e um coronel do Exército líbio durante os combates, mas não informou sobre datas precisas.

Ele também disse que Gaddafi havia enviado um ônibus cheio de pessoas vestidas de roupas comuns para a cidade e abriu fogo quando eles saíram do veículo.

É impossível verificar informações sobre os confrontos em Misrata, porque autoridades líbias impediram jornalistas de cobrir os acontecimentos da cidade independentemente.

Autoridades do governo líbio descrevem os rebeldes como sendo "gangues armadas" empenhadas em desestabiliazar a Líbia e aterrorizar o povo comum.

(Reportagem de Alexander Dziadosz)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIACIVISMORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.