Rebeldes encontram forte resistência em redutos de Kadafi

Forças insurgentes tiveram de se retirar às pressas de Bani Walid após violentos combates

Reuters

16 Setembro 2011 | 14h33

Rebeldes se protegem de fogo inimigo perto de Bani Walid

 

BANI WALID - Colunas de combatentes e veículos do Conselho Nacional de Transição (CNT) da Líbia se retiraram de forma caótica da cidade de Bani Walid ao anoitecer, depois de horas de violentos confrontos contra forças leais a Muamar Kadafi, que continuaram a bombardear os insurgentes postos dentro e nos arredores da cidade, disseram testemunhas à agência Reuters. Em Sirte, cidade natal do coronel, os rebeldes também encontraram resistência.

 

Veja também:
forum OPINE: 
Onde se esconde Kadafi?
especialESPECIAL: Quatro décadas de ditadura na Líbia
lista ARQUIVO: ‘Os líbios deveriam chorar’, dizia Kadafi

"Recebemos ordens para recuar. Fomos atingidos por muitos foguetes. Voltaremos depois", disse Assad al-Hamuri, um combatente rebelde ao fugir da frente de combate. "Precisamos reorganizar as tropas e aumentar os estoques de munições. Estamos aguardando ordens para voltar novamente", disse Saraj Abdelrazaq, outro insurgente.

O clima era caótico e gritaria irrompeu entre os combatentes contrários a Kadafi. As forças rebeldes deixavam a cidade em meio a fortes bombardeios das forças leais ao ditador.

 

 

Um correspondente da Reuters disse ter visto rebeldes avançarem com dificuldade antes da retirada. Os combatentes estavam vulneráveis a bombas, morteiros e a atiradores de elite e se protegiam em muros e casas. O mercado central e uma grande edificação construída por Kadafi no topo de uma colina estavam fortemente defendidos pelas tropas do ditador.

 

 

Sirte

 

A insurgência também invadiu Sirte, a cidade natal de Kadafi, nesta sexta. Apoiados por tanques, os rebeldes lançaram o ataque no final da manhã. O primeiro ataque, no dia anterior, foi repelido por homens leais ao ditador. Um repórter da agência France Presse testemunhou os pesados confrontos no aeroporto e a dois quilômetros do centro da cidade.

 

O comandante militar Salem Jear, que também é integrante do Conselho Militar de Misurata, disse que as forças do CNT se aproximavam do centro da cidade. "Estamos avançando pelo oeste e pelo sul na direção do centro da cidade", disse ele por telefone. "Nossas forças se retiraram estrategicamente durante a noite, mas agora estamos avançando na direção do centro e alguns já chegaram ao local."

 

Não há informações sobre vítimas, mas o CNT disse que perdeu 11 combatentes na quinta-feira e que 34 ficaram feridos, além da captura de 40 homens de Kadafi. A área de Al-Zaafran, ao sul de Sirte, estava sob controle rebelde. Um comandante disse esperar que até o final do dia a cidade esteja completamente tomada pelos rebeldes.

 

Quase um mês depois de os rebeldes terem tomado completamente a capital do país, Trípoli, onde Kadafi mantinha seu quartel-general, ainda há cidades sob controle das tropas do coronel. O Conselho Nacional de Transição anunciou que não realizará eleições e elaborará a Constituição do país enquanto toda a Líbia for "libertada".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.