Rebeldes esperam batalha intensa para tomar complexo de Gaddafi

A batalha para tomar o controle do principal complexo de Muammar Gaddafi em Trípoli será feroz, mas qualquer um que estiver do lado de dentro tem pouca chance de escapar, disse um porta-voz dos rebeldes à televisão Al Jazeera nesta segunda-feira.

REUTERS

22 de agosto de 2011 | 19h47

"Eu não imagino que o complexo de Bab Al-Aziziyah irá cair facilmente e acredito que vai acontecer uma batalha feroz", disse Abdel Hafiz Goga, porta-voz do Conselho Nacional de Transição da Líbia, em entrevista.

"Os rebeldes estão montando postos de checagem nas entradas de Trípoli e eu não acho que ele (Mohammad, um dos filhos de Muammar Gaddafi) conseguirá escapar de Trípoli, e o mesmo se aplica ao coronel Gaddafi", disse ele.

O paradeiro do veterano líder líbio é desconhecido depois que os rebeldes assumiram o controle de praticamente toda a capital.

Mohammad, o filho mais velho de Gaddafi, fugiu nesta segunda-feira de sua residência em Trípoli após ter sido cercado por forças rebeldes. Os outros dois filhos de Gaddafi permanecem sob custódia.

O imenso complexo de Gaddafi em Trípoli, que inclui acampamentos militares, tem sido alvo de bombardeios aéreos da Otan nas últimas semanas, mas os rebeldes disseram nesta segunda-feira que o local permanece fortemente protegido por tanques e atiradores de elite.

Bab Al-Aziziya foi alvo de um bombardeio norte-americano em 1986 que o então presidente dos EUA, Ronald Reagan, definiu como resposta ao que chamou de cumplicidade líbia no ataque a um clube noturno de Berlim.

Um correspondente da Al Jazeera em Trípoli disse ao vivo que a situação na cidade era aparentemente calma na noite de segunda-feira, mas havia disparos ocasionais e poucas pessoas nas ruas.

(Reportagem de Yasmine Saleh; com colaboração de Tarek Amara em Tunis)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAREBELDESGADDAFICOMPLEXO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.