Rebeldes islamitas detonam carro-bomba perto de fronteira com Israel

A explosão de um carro-bomba detonado por militantes islâmicos nesta quinta-feira matou oito membros da inteligência militar síria perto das Colinas de Golã, sob domínio de Israel, afirmaram nesta sexta-feira grupos que monitoram a violência e opositores.

Reuters

25 de janeiro de 2013 | 10h54

O Observatório Sírio para Direitos Humanos afirmou que a bomba foi plantada pela Frente Al-Nusra, uma unidade rebelde que defende a saída do presidente Bashar al-Assad e considerada um grupo terrorista pelos Estados Unidos.

"Nós acreditamos que a explosão deve ter matado um coronel que liderava o combate contra rebeldes na área", afirmou Rami Abdelrahman, chefe do Observatório com sede na Grã-Bretanha.

O prédio alvejado fica na cidade de Saasa, 23 quilômetros da fronteira com as Colinas de Golã, afirmou.

Abdelrahman disse ainda que o número de mortos poderia subir, uma vez que havia feridos em estado grave.

Rebeldes sírios combatem as forças de Assad há meses em cidades localizadas dentro e nas adjacências da Área de Separação entre Israel e Síria.

Uma rádio estatal israelense levou ao ar uma entrevista com um homem, que não se identificou e disse ser de Saasa, na qual afirmou que a explosão foi perto de Israel.

"Eu ouvi uma explosão. Eu não vi, mas ouvi(a explosão). Foi uma grande explosão", afirmou. (Reportagem de Oliver Holmes e Reuters TV em Beirute; e Dan Williams em Jerusalém)

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIACARROBOMBAISRAEL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.