Rebeldes líbios conquistam refinaria no oeste do país

Oposicionistas tomaram cidade de Zawiyah e bloquearam a principal rodovia que liga Trípoli ao sul do país

ULF LAESSING E YVONNE BELL, REUTERS

18 de agosto de 2011 | 10h06

ZAWIYAH - Rebeldes líbios assumiram nesta quinta-feira, 18, o controle de uma refinaria de petróleo na cidade de Zawiyah (oeste) e bloquearam a principal rodovia que liga a capital ao sul do país, isolando ainda mais o líder Muamar Kadafi.

 

Veja também:

especialLinha do Tempo: 40 anos da ditadura na Líbia

especialInfográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

especialEspecial: Os quatro atos da crise na Líbia

 

 

Os rebeldes fazem nos últimos dias a sua maior ofensiva em seis meses de guerra civil contra Kadafi, no poder há 41 anos.

Pequenos grupos de combatentes rebeldes ocuparam o interior da refinaria, sem sinais de resistência por parte das forças do governo. "A batalha (pela refinaria) durou dois dias, mas a principal batalha foi ontem à noite. Assumimos o controle ontem à noite" declarou o combatente Saleh Omran, de 31 anos, que falou à Reuters de dentro do complexo.

Ele disse que os rebeldes enfrentaram cerca de 150 soldados do governo, que depois fugiram do complexo à beira-mar, em barcos.

Médicos de um hospital próximo disseram que nove pessoas morreram e pelo menos 45 ficaram feridas na quarta-feira nos combates em Zawiyah, e que a maioria das vítimas é de rebeldes. Essas fontes afirmaram também que as forças do governo atacaram uma casa próxima ao hospital com foguetes Grad.

Os rebeldes também assumiram o controle da cidade de Garyan, que fica cerca de 80 quilômetros ao sul de Trípoli, junto a uma rodovia importante, segundo um repórter da Reuters no local. Os rebeldes posicionaram na praça principal um tanque T-34 e um canhão antiaéreo tomado das forças governistas. "Agora iremos para Trípoli", disse um combatente que se identificou como Mohammad.

Ao longo da quinta-feira, as forças rebeldes avançaram vários quilômetros ao norte de Garyan, enfrentando forças pró-Kadafi. Um repórter da Reuters ouviu tiros e explosões de foguetes Grad vindos do local dos combates, e viu uma coluna de fumaça se erguendo naquela direção.

Em declarações publicadas nesta quinta-feira pela agência estatal de notícias Jana, o porta-voz governamental Mussa Ibrahim minimizou os avanços dos rebeldes, dizendo que o governo continua controlando o país.

"Esta é uma crise que irá durar alguns dias, e então será, se Deus quiser, superada. Vamos continuar pressionando até liberarmos todo o país", afirmou.

Os rebeldes têm ajuda militar da Otan. Na quarta-feira uma fonte oficial norte-americana revelou à Reuters que os EUA mobilizaram mais dois aviões teleguiados Predator para essa missão. Não está claro quantos aparelhos desse tipo os EUA já usavam.

Em Misrata, cidade controlada pela oposição, no leste, um porta-voz rebelde disse que os insurgentes sepultaram os corpos de cerca de 150 civis que foram mortos por forças do governo e que haviam sido deixados em uma vala comum recém-descoberta.

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAREBELDESPERTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.