Rebeldes líbios não têm informações sobre paradeiro de Gaddafi

Rebeldes líbios não têm informações concretas sobre a localização de Muammar Gaddafi ou de seus filhos, afirmou Mustafa Abdel Jalil, presidente do Conselho Nacional de Transição (CNT), neste sábado.

EMMA FARGE E ALEX DZIADOSZ, REUTERS

27 de agosto de 2011 | 12h15

Combatentes rebeldes que assumiram o controle da capital líbia esta semana dizem que Gaddafi e seus filhos estão escondidos e ofereceram uma recompensa de 1,3 milhão de dólares e garantias contra processos legais para qualquer um que capturar ou matar o ex-líder líbio.

A agência estatal de notícias do Egito disparou nova rodada de especulações sobre o paradeiro de Gaddafi quando divulgou que uma fonte rebelde líbia afirmou que um comboio de seis Mercedes-Benz blindadas cruzou da Líbia para a Argélia. O comboio, segundo a agência, poderia estar transportando Gaddafi.

Autoridades rebeldes e combatentes afirmaram em várias ocasiões que sabiam onde Gaddafi estava e que estavam monitorando o ex-comandante do país, mas essas afirmações acabaram se provando erradas.

"Não temos informação factual sobre o paradeiro de Gaddafi e de seus filhos", disse Abdel Jalil.

Em comentários a jornalistas, ele afirmou que o conselho pode considerar convidar autoridades policiais de Estados árabes ou muçulmanos para ajudar na segurança da Líbia, mas que não queria a presença de forças policiais estrangeiras no país.

Ele afirmou ainda que qualquer um que tenha trabalhado em uma posição sênior para Gaddafi e que não tenha aderido à causa rebelde até agora "não terá permissão para ter um lugar no futuro da Líbia, politicamente falando".

Comandantes rebeldes ainda negociam com forças leais a Gaddafi para tentar persuadi-las a entregar o controle de Sirte, cidade-natal de Gaddafi situada a cerca de 500 quilômetros de Trípoli, disse Abdel Jalil.

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIASEMSINALGADDAFI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.