Rebeldes mobilizam forças especiais para caçar Gaddafi

Rebeldes líbios disseram estar mobilizando forças especiais para a caçada ao foragido ex-governante Muammar Gaddafi, cujos seguidores agora se concentram em alguns poucos bolsões de resistência na capital, Trípoli.

PETER GRAFF E ULF LAESSIN, REUTERS

26 de agosto de 2011 | 09h33

A liderança rebelde anunciou também que planeja se transferir de Benghazi, no leste, para Trípoli.

Entre os combatentes rebeldes -- que na terça-feira ocuparam o complexo governamental de Bab al Aziziya --, circulam inúmeros rumores de que Gaddafi e seus filhos estariam encurralados, ou mesmo que teriam sido avistados. No entanto, não há notícia sobre o paradeiro dele, que na quarta e quinta-feira divulgou mensagens de áudio aos seus partidários.

O coronel rebelde Hisham Buhagiar disse que as buscas se concentram em várias áreas. "Estamos enviando forças especiais todos os dias para caçar Gaddafi. Temos uma unidade que faz a inteligência, e outras unidades caçando-o", afirmou.

Correspondentes da Reuters disseram que ainda há forças leais ao antigo regime em várias áreas da cidade, mas que algumas delas usam a bandeira tricolor (vermelha, preta e verde) dos rebeldes, em vez do pavilhão todo verde de Gaddafi.

Uma emissora pró-Gaddafi disse que aviões da Otan bombardearam a cidade natal dele, Sirte, um dos seus últimos redutos.

O ministro britânico da Defesa disse que a Otan está ajudando os rebeldes a reunirem informações que ajudem na busca por Gaddafi, mas o Departamento de Estado dos EUA afirmou que nem a Otan nem Washington se envolveram diretamente na caçada.

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAGADDAFICACADA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.