Rebeldes sírios dizem ter capturado piloto após derrubar avião

Rebeldes do leste da Síria disseram ter capturado o piloto de um caça do governo derrubado na segunda-feira. A TV estatal disse que o avião caiu por dificuldades técnicas durante uma "missão regular de treinamento".

ERIKA SOLOMON, Reuters

13 de agosto de 2012 | 18h28

Nos últimos meses, o governo de Bashar al Assad tem usado com crescente frequência sua aviação para atacar redutos dos rebeldes, que raramente conseguem derrubar aviões com suas armas leves.

A TV síria disse que uma equipe de resgate foi enviada à região, e a agência estatal Sana noticiou que o piloto se ejetou antes da queda.

Ativistas divulgaram pelo YouTube um vídeo que supostamente mostra o piloto, identificado na gravação como sendo o coronel Mufeed Mohammed Suleiman. Rebeldes aparecem interrogando o homem, grisalho e parcialmente calvo. Ele está sentado junto a uma mesa, de camisa preta, ao lado de vários rebeldes que vestem fardas camufladas e seguram rifles.

"Vamos tratar esse prisioneiro de acordo com o que se exige de nós por nossa religião, por nossa moral e pelos protocolos da Convenção de Genebra relativa a prisioneiros de guerra", disse um rebelde que se identificou como capitão Abu Laith.

O suposto piloto, que parecia calmo, disse que os leves arranhões no seu rosto decorreram da queda do avião, e não de agressões dos rebeldes. Ele também disse que recebeu primeiros-socorros.

Ativistas anti-Assad carregaram vídeos no YouTube que supostamente seriam da cidade de Mohassen, na província de Deir al-Zor, no leste do país, mostrando um avião de guerra voando em meio a um forte tiroteiro. De repente, a aeronave pega fogo e começa a girar, deixando um rastro de fumaça.

"Deus é o maior. Um jato Mig foi atingido na cidade de Mohassen", gritou um ativista. Não havia indicação no vídeo se o avião foi atingido por fogo rebelde ou míssil antiaéreo.

Tampouco foi possível verificar o local ou data do vídeo.

Uma fonte da oposição próxima dos rebeldes na região disse à Reuters que os insurgentes usaram armas antiaéreas para derrubar o caça.

"Era um Mig-21 abatido por uma arma antiaérea 14.5, a maior no arsenal rebelde. O avião voava muito baixo e estava dentro do alcance. Não temos informações se o piloto sobreviveu", disse a fonte.

Os rebeldes, cujo arsenal é composto principalmente de fuzis, explosivos e lança-granadas, disseram que são incapazes de competir com o poder aéreo do Exército.

Recentemente, caças foram vistos lançando foguetes sobre aldeias controladas pelos rebeldes e o norte da cidade de Aleppo.

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIAPILOTOCAPTURADO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.