AP
AP

Rebeldes sírios dizem ter lançado morteiros no palácio presidencial

Insurgentes não conseguem entrar no centro de Damasco, onde o Exército reforçou posições

Reuters

18 de março de 2013 | 18h16

BEIRUTE - Rebeldes sírios disseram nesta segunda-feira que dispararam morteiros contra o palácio presidencial, o aeroporto internacional de Damasco e edifícios de segurança para marcar o segundo aniversário do início do levante contra o presidente Bashar Assad.

Nota divulgada numa página da oposição no Facebook disse que os grupos rebeldes lançaram "vários morteiros de calibre pesado, 120 mm ... numa operação conjunta coordenada com batalhões que operam em Damasco".

"A operação ocorre em conjunto com o segundo aniversário do início da nossa revolução, que é uma revolução de liberdade e dignidade contra o regime despótico do criminoso Bashar Assad", disse a nota.  A Reuters não pôde verificar os relatos de forma independente devido às restrições ao trabalho de jornalistas na Síria. O Observatório Sírio de Direitos Humanos, que tem uma rede de ativistas no país, disse que vários foguetes caíram em bairros próximos do palácio presidencial, mas que não era possível confirmar se o prédio havia sido diretamente atingido, e se havia vítimas.

Os rebeldes ocupam bairros suburbanos de Damasco, mas não conseguem entrar no centro da capital, onde o Exército reforçou posições. Eles já atingiram o aeroporto e o palácio anteriormente, mas se acredita que Assad não esteja mais vivendo lá.

Tudo o que sabemos sobre:
primavera árabeSíriaBashar Assad

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.