Recontagem de votos em Bagdá levará entre 2 e 3 semanas

Novo resultado pode mudar configuração de poderes no governo iraquiano

AP

29 de abril de 2010 | 10h59

BAGDÁ - A recontagem de todos os votos da província de Bagdá levará cerca de duas ou três semanas, disse a Comissão Eleitoral iraquiana nesta quinta-feira, 29, postergando ainda mais o anúncio do novo governo.

 

Desde as eleições parlamentares de 7 de março, as facções políticas do país vêm brigando pelo resultado da acirrada disputa. Mas pouco progresso têm feito na busca pela formação de um novo governo, lançando temores de que a instabilidade política poderia abrir caminho para uma nova onde de violência ao mesmo tempo que as forças de combate dos Estado Unidos se preparam para ir embora do país.

 

O primeiro-ministro Nouri al-Maliki, da coalizão xiita, quase perdeu por dois assentos de diferença para o bloco do ex-primeiro-ministro Ayad Allawi. Al-Maliki contestou os resultados, alegando fraudes e pedindo a recontagem dos votos.

 

Ao mesmo tempo que rejeita os pedidos de recontagem de votos em outras províncias, o

Judiciário do Iraque aprovou a medida em Bagdá - uma província chave e lar de quase um quarto da população do país.

 

Há 68 cadeiras vagas das 325 do novo parlamento, e o novo resultado poderia facilmente apagar com a liderança apertada de Allawi.

 

Os partidários de Allawi reclamaram da recontagem e disseram que al-Maliki está tentando subverter "a vontade do povo" desafiando de diversas maneiras os resultados.

 

A minoria sunita no Iraque apoio o grupo de Allawi, e teme-se que uma reviravolta em sua vitória pudesse levar muitos a perder a fé no processo político e se voltar contra o governo mais uma vez.

 

Hamdia al-Hussaini, um oficial da Comissão Eleitoral, contou a repórteres que a recontagem em Bagdá começará na segunda-feira em todas as urnas eleitorais da província.

 

"Estimamos que levará cerca que duas ou três semanas, dependendo das habilidades com empregados durante a recontagem", disse al-Hussaini.

 

Ele contou que a recontagem aconteceria no Rasheed Hotel na Zona Verde, onde se encontra também a Embaixada dos EUA e o gabinete do primeiro-ministro, e será feita por iraquianos de todas as províncias do país.

 

O chefe da Comissão Eleitoral, Faraj al-Haidari, também disse que também se pronunciará sobre uma decisão referente a um pedido de recontagem curso na cidade de Hawija.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.