Refugiados do Iraque voltam para casa por falta de dinheiro--ONU

A maior parte dos refugiadosiraquianos que volta para casa proveniente da Síria retorna,não porque vê em seu país um local mais seguro, mas porque nãoconsegue mais pagar pelos custos de viver no exterior, afirmouum relatório da Organização das Nações Unidas (ONU). O documento do Alto Comissariado das Nações Unidas para osRefugiados (Acnur) também disse que o fluxo de refugiadosvindos da Síria havia diminuído após um aumento no final de2007. E que o número de iraquianos saindo de seu país era maiordo que o de iraquianos que regressavam. No mês passado, o Crescente Vermelho iraquiano disse quecerca de 46 mil refugiados tinham voltado da Síria entre 15 desetembro e 27 de dezembro, um contingente muito menor que odivulgado pelo governo iraquiano. Em novembro, autoridades do Iraque, ansiosas para ressaltara queda nos níveis de violência, afirmaram que 1.600 refugiadosregressavam diariamente. E que 46 mil teriam voltado para Bagdácontando apenas outubro. "A maior parte dos refugiados não concorda com a noção deque a segurança aumentou suficientemente no Iraque", afirmou orelatório do Acnur, visto pela Reuters na quarta-feira. "Os refugiados que cogitam a possibilidade de regressar aoIraque citam os problemas financeiros como o principal motivopara essa decisão", acrescentou. Segundo o documento, membros do Acnur entrevistaram 110iraquianos em um centro de inscrição do órgão em Damasco.Desses, 46,1 por cento disseram que não conseguiam mais viverna Síria e 25,6 por cento, que voltavam porque seu visto depermanência tinha expirado. No total, 14,1 por cento "afirmaram ter ouvido que aviolência havia diminuído e que poderiam voltar", disse orelatório. O número de episódios violentos caiu dramaticamente noIraque após uma série de operações militares realizadas no anopassado. Segundo o governo iraquiano e as Forças Armadas dosEUA, a quantidade de ataques diários diminuiu 60 por centodesde junho de 2007. Cerca de 2,2 milhões de iraquianos foram obrigados a deixaro país em virtude da violência. O Crescente Vermelho do Iraque estima que algo entre 1,5milhão e 2 milhões ingressou na Síria. A Organização Internacional para a Migração (IOM) disse, nomês passado, que o número de refugiados internos existentesdentro do Iraque tinha parado de aumentar tanto. Mas observouque apenas "uma pequena porcentagem" dos que fugiram para oexterior estava regressando.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.