Reino Unido adia redução de contingente militar no Iraque

Governo britânico retarda plano de retirar 1.500 soldados após aumento da violência em Basra

Efe e Associated Press,

01 de abril de 2008 | 11h59

O secretário de Defesa do Reino Unido, Des Browne, anunciou nesta terça-feira, 1, que o Exército adiou um plano para a retirada de cerca de 1.500 soldados do Iraque. Browne disse que o recente aumento da violência em Basra levou comandantes militares britânicos a retardarem a redução do contingente britânico no Iraque de 4 mil para 2.500 soldados, conforme prometeu o primeiro-ministro Gordon Brown no fim do ano passado.   Veja também: Ocupação do Iraque  Premiê iraquiano proíbe prisões de rebeldes xiitas sem mandado   Browne disse que, já antes dos combates da semana passada, o conselho dos comandantes militares indicava que poderiam não ser possíveis as retiradas de tropas previstas no anúncio do primeiro-ministro de outubro passado, mas afirmou que este continua sendo o plano do governo.   "À luz dos fatos da semana passada, no entanto, é prudente que detenhamos qualquer nova redução, enquanto continua a situação atual", afirmou o titular da Defesa. "É absolutamente correto que os comandantes militares revisem os planos quando as condições no terreno mudam", acrescentou Browne.   Basra, situada 550 quilômetros ao sul de Bagdá, é a segunda cidade mais importante do país e o principal centro exportador de petróleo do Iraque. Durante a semana passada, Basra foi o cenário de duros confrontos entre as milícias leais ao clérigo Moqtada al-Sadr e o Exército iraquiano, que se saldaram com a morte de pelo menos 210 pessoas e grandes danos à infra-estrutura da província.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueReino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.