Relatório aponta falhas em gastos do governo iraquiano

Documento americano diz que Bagdá tem problemas para administrar recursos para petróleo e infra-estrutura

Deborah Zabarenko, da Reuters,

30 Julho 2007 | 09h46

O governo do Iraque não conseguiu assumir a responsabilidade por projetos de reconstrução e está com dificuldades em administrar seu orçamento para o petróleo, obras públicas e educação, disse nesta segunda-feira um inspetor-geral dos Estados Unidos. Veja também: Corrupção no Iraque é igual a 'segunda insurreição', dizem EUA Oito milhões precisam de ajuda no Iraque, diz relatório Em análise de como US$ 44 bilhões em fundos dos EUA foram gastos para ajuda e reconstrução do Iraque desde 2003, o inspetor-geral apontou "preocupações" no último trimestre sobre o processo criado para transferir o controle de projetos para o governo iraquiano. O Congresso dos EUA criou o cargo de inspetor-geral para supervisionar a maneira como os fundos americanos estavam sendo usados no Iraque. Segundo o relatório, o governo dos EUA está transferindo de maneira unilateral muitos projetos para o Iraque sem o consentimento do governo de Bagdá. "Em alguns casos, os EUA continuaram pagando para manter projetos completos que não foram aceitos" pelo Iraque. O Iraque não conseguiu administrar de maneira eficiente seu orçamento de 2006, quando gastou apenas 22% das verbas, de acordo com o documento. Os números de 2007 contêm melhorias e o índice pode chegar a 50%, se a atual tendência continuar. O Ministério do Petróleo lidera os gastos deste ano, executando US$ 538 milhões, ou 23% de seu orçamento, seguido pelas obras públicas, com US$ 174 milhões, e educação, com US$87 milhões.

Mais conteúdo sobre:
Iraque relatório

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.