Relatório dos EUA alerta para limpeza étnica em Bagdá

Autoridades dos EUA em Bagdá tememque a violência entre sunitas e xiitas em alguns bairros setransforme em "limpeza étnica" quando as forçasnorte-americanas forem embora, disse na quinta-feira umaagência ligada ao governo. A Inspetoria-Geral Especial para a Reconstrução do Iraquealertou em um relatório que a redução da violência sectária,atribuída ao reforço militar enviado neste ano pelo presidenteGeorge W. Bush, não produziu uma reconciliação políticaduradoura em Bagdá e na vizinha província de Diyala. "Alguns dos distritos e bairros continuam 'quentes' demaispara que a reconciliação tenha lugar", disse o relatório, queincluía uma análise da iniciativa diplomática do governo Bushpara estabilizar o Iraque, com equipes provinciais dereconstrução formadas por funcionários civis e militares dosEUA. "Em áreas que incluem populações mistas sunita e xiita, nosdisseram que a saída das forças dos EUA abriria terreno parabatalhas campais de limpeza étnica", diz o texto. A violência no Iraque não parou, mas os ataques em Bagdá earredores diminuíram desde que os EUA enviaram 30 mil soldadosadicionais, elevando o total a 171 mil. (Por David Morgan)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.