Repórter que jogou sapato em Bush está com braço quebrado--irmão

O jornalista iraquiano que atirou os sapatos contra o presidente dos EUA, George W. Bush, durante uma entrevista em Bagdá recebeu golpes na cabeça e teve um braço quebrado quando foi retirado do local por oficiais de segurança, disse nesta terça-feira seu irmão. O repórter de televisão Muntazer al-Zaidi, que chamou Bush de "cachorro" durante uma entrevista à imprensa da qual também participou o primeiro-ministro iraquiano, Nuri al-Maliki, no domingo, está hospitalizado na Zona Verde de Bagdá, disse seu irmão Maitham al-Zaidi. "Fomos contatados ontem por uma pessoa -- que nós conhecemos -- e ele nos disse que Muntazer foi levado no domingo ao hospital Ibn-Sina", disse Maitham al-Zaidi. "Ele estava ferido na cabeça porque levou uma coronhada de fuzil, e um de seus braços estava quebrado." O irmão do jornalista recusou-se a identificar a fonte da informação e sua afirmação não pôde ser verificada. Várias autoridades iraquianas, ao ser perguntadas sobre as declarações do irmão, negaram ter responsabilidade pelo caso. O Exército dos EUA disse que Zaidi estava sob custódia dos militares iraquianos, mas um porta-voz do Ministério da Defesa iraquiano negou essa informação e disse não ter conhecimento da situação de Zaidi. Após chamar Bush de cachorro, Zaidi jogou seus dois sapatos na direção do presidente norte-americano, que se abaixou para não ser atingido. Os dois atos são considerados ofensas gravíssimas entre os árabes. Uma autoridade iraquiana afirmou na segunda-feira que o jornalista será processado pelo incidente. A acusação mais provável contra ele -- insultar publicamente um Estado estrangeiro, ou um chefe de Estado estrangeiro, ou uma organização internacional -- tem pena máxima de 2 anos de prisão, segundo o advogado criminalista Ali Ahmed Mansour. (Reportagem adicional de Aseel Kami e Ahmed Rasheed)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.