Resgatados mais de 20 corpos em queda de avião no Líbano

O Boeing 737-800 decolou por volta das 2h30 da madrugada, hora local, e voou 3,5 km antes de cair

Associated Press,

25 de janeiro de 2010 | 10h47

Um avião da Ethiopian Airlines, com 90 pessoas a bordo, pegou fogo e caiu no mar minutos após decolar de Beirute nesta segunda-feira, 25, desencadeando uma busca frenética em meio á chuva que atingia a costa libanesa e aos destroços que chegavam ao litoral. Pelo menos 23 corpos já foram recuperados.

A causa do desastre ainda não está clara. O Líbano sofre com mau tempo desde a noite de domingo, com chuva e relâmpagos.

 

O presidente do país, Michel Suleiman, disse que não há suspeita de terrorismo na queda do voo 409, com destino à capital da Etiópia, Adis-Abeba. "Sabotagem está descartada", disse ele.

 

Soldados encontram, na praia, assentos do Boeing que caiu no mar em Beirute. Hussein Malla/AP

 

Parentes em prantos correram ao aeroporto de Beirute para aguardar notícias dos passageiros. Uma mulher caiu de joelhos, chorando. Outra gritava: "Onde está meu filho?"

 

Entre os mortos há várias crianças, de acordo com um funcionário do governo libanês que pediu para não ter o nome divulgado.

 

O Boeing 737-800 decolou por volta das 2h30 da madrugada, hora local, e voou 3,5 km, disse Ghazi Aridi, ministro de transportes e serviços públicos. Nota do Exército libanês declara que o avião estava "em chamas pouco depois de decolar".

 

"O tempo estava, sem dúvida, muito ruim", disse Aridi a jornalistas.

 

Pedaços do avião e destroços foram trazidos pelo mar para o litoral libanês, incluindo assentos de passageiros, uma sandália de bebê, um extintor de incêndio e frascos de medicamentos.

 

Forças Armadas tentam realizar resgate em meio ao mar bravo e mau tempo. Mohammed Zaatari/AP

 

A mulher do embaixador francês no Líbano, Denis Pietton, estava a bordo, segundo a embaixada.

 

Helicópteros e navios da Marinha foram mobilizados para a operação de resgate. O premiê do Líbano, Saad Hariri, anunciou quatro dias de luto oficial.

 

O executivo-chefe da Ethiopian Airlines, Girma Wake, disse a jornalistas em Adis-Abeba que ainda não tinha informações sobre a causa da queda.

Tudo o que sabemos sobre:
líbanoetiópiadesastre aéreoboeing

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.