Revolta em prisão de Israel deixa dezenas de feridos

Dezenas de pessoas ficaram feridasnum confronto entre presos palestinos e carcereiros numa cadeiaisraelense na segunda-feira, disseram autoridadespenitenciárias. Pelo menos 15 presos e 15 carcereiros ficaram feridos notumulto, que aconteceu de manhã numa prisão do deserto deNegev, disse uma representante do Serviço Penitenciário deIsrael. Um dos detentos foi levado para o hospital em estadograve. Uma autoridade palestina disse que o número estimado depresos feridos chegava aos 250. O incidente aconteceu num momento em que o premiêisraelense, Ehud Olmert, e o presidente palestino, MahmoudAbbas, tentam reduzir suas divergências nos preparativos parauma conferência sobre o futuro Estado palestino, que está sendopatrocinada pelos Estados Unidos. A questão dos detentos é delicada para os palestinos, jáque há quase 11 mil deles sob custódia israelense. O gabinete palestino do premiê Salam Fayyad responsabilizouIsrael pela violência na cadeia e emitiu uma nota condenando"veementemente a agressão bárbara" contra os "heróisprisioneiros". A violência estourou quando guardas da prisão conduziam umabusca de rotina por armas no complexo, que abriga 1.000detentos, disse Eli Gabizon, comandante do distrito sul doServiço Penitenciário de Israel, à rádio Israel. Durante o tumulto, que durou cerca de uma hora, osprisioneiros enfrentaram os carcereiros e incendiaram asbarracas, disse a porta-voz. O parlamentar palestino Issa Qaraqe disse à Reuters que osprisioneiros detidos em cadeias israelenses fariam uma greve defome de um dia na terça-feira em protesto contra a violência. O grupo islamita Hamas, que assumiu o controle da Faixa deGaza em junho, também disse que vai organizar passeatas noenclave litorâneo e na cidade de Hebron, na Cisjordânia, paramanifestar solidariedade aos presos. (Por Ari Rabinovitch, Haitham Tamimi e Mohammed Assadi)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.