Revolta popular na Líbia deixou 50 mil mortos, diz coronel

Cerca de cinquenta mil pessoas foram mortas desde o início da revolta popular na Líbia para derrubar Muammar Gaddafi há seis meses, estimou nesta terça-feira um comandante militar do conselho interino que governa o país.

REUTERS

30 de agosto de 2011 | 14h46

"Em Misrata e Zlitan, entre 15 mil e 17 mil foram mortos e em Jebel Nafusa (nas Montanhas Ocidentais) aconteceu a maior parte das mortes", afirmou à Reuters o coronel Hisham Buhagiar, comandante das tropas anti-Gaddafi que tomaram Trípoli há uma semana.

"Nós libertamos cerca de 28 mil prisioneiros. Supomos que todos os desaparecidos estejam mortos", acrescentou ele.

"Também tem Ajdabiyah, Brega. Muitas pessoas foram mortas lá também", disse ele, referindo-se a cidades no leste da Líbia, que também foram palco de confrontos.

Os números incluem os que foram mortos em confrontos entre tropas de Gaddafi e seus inimigos, além daqueles que desapareceram nos últimos seis meses, explicou o coronel.

(Reportagem de Samia Nakhoul)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAMORTOSREVOLTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.