Rice quer sírios e sauditas nas negociações de paz com Israel

Para a secretária de Estado, participação de países árabes em encontro para criação da Palestina é 'natural'

Associated Press,

23 de setembro de 2007 | 23h53

A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, disse neste domingo, 23, que a Síria e outros países árabes do Oriente Médio serão convidados para participar de uma conferência de paz para a região, em novembro. Convocado pelo presidente George W. Bush, o encontro, que deve ocorrer em Washington, tem por objetivo lançar as bases para a criação de um estado Palestino ao lado de Israel.  Os convites formais ainda não foram enviados, mas Rice disse que seria "natural" ter a Síria, a Arábia Saudita e outros 10 países da Liga Árabe discutindo o estabelecimento de um amplo plano de paz com Israel, apesar da hostilidade de alguns desses Estados para com o Estado judeu.  "É muito importante que os atores regionais da comunidade internacional se mobilizem para apoiar o encontro", disse Rice em referência a israelenses e palestinos. Ela destacou, entretanto, que a participação dessas nações nas negociações deve ter como princípio a aceitação dos esforços internacionais para por um fim no conflito entre israelenses e palestinos, além de refletir o apoio a uma solução de dois Estados para a região.  As declarações foram dadas em uma coletiva de imprensa após um encontro entre diplomatas do Quarteto para Oriente Médio. O grupo, formado por Estados Unidos, ONU, União Européia e Rússia, trabalha para conseguir uma solução pacífica para o longo conflito. De todos os países com representação na Liga Árabe, apenas o Egito e a Jordânia possuem acordos de paz com Israel. A Síria, que também faz parte de grupo, permanece tecnicamente em guerra com o Estado judeu. Para piorar, a tensão entre os dois países atingiu níveis elevados nas últimas semanas, depois de um suposto ataque da Força Aérea israelense contra o que foi descrito como instalações nucleares mantidas pela Coréia do Norte em território sírio."A estrada adiante é muito difícil", disse Rice durante a coletiva. Ela acrescentou, no entanto, que "há muito comprometimento e esperança de que seremos bem sucedidos desta vez". O ex-premiê britânico Tony Blair, que agora atua como representante especial do Quarteto, também deu seu apoio à conferência. Segundo ele, o encontro é de importância crucial para o aproveitamento do que descreveu como um momento crucial para o processo de paz. O encontro deste domingo entre os membros do Quarteto serviu de preparação para as reuniões que Bush manterá a partir desta segunda-feira, 24, com Blair, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, e o primeiro-ministro palestino Salam Fayyad.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.