Rice vai ao Oriente Médio tentar aproximar Israel dos palestinos

A secretária de Estadonorte-americana, Condoleezza Rice, reúne-se com líderesisraelenses e palestinos neste fim de semana para negociar umadeclaração conjunta às vésperas de uma conferência de paz. Mas Rice, intencionalmente, tem diminuído as expectativas arespeito do encontro. Autoridades norte-americanas prevêem que a terceira visitada secretária à região em seis semanas resulte em um documentocom os princípios responsáveis por pautar o início denegociações a respeito de um Estado palestino, mas queapresentará poucos pontos específicos. "De forma inteligente, eles estão reduzindo asexpectativas. O nível das expectativas é tão baixo que poderiaacertá-los na cabeça. Mas essa é uma manobra inteligente",afirmou Bruce Riedel, um especialista em questões do OrienteMédio junto ao Centro Saban do Instituto Brookings. Riedel étambém um ex-analista da CIA, agência de inteligência dos EUA. Rice deve chegar a Jerusalém na noite de sábado, depois departicipar de uma conferência sobre o Iraque na Turquia, ondedeve realizar uma série de encontros em meio aos esforços depaz. No domingo, Rice discursará em uma conferência em Jerusalémna qual deve pressionar os dois lados a fazer promessasimportantes e a concordar em cumprir as estipulações do planode paz de 2003 conhecido como "mapa do caminho" e há temposparalisado. Entre essas estipulações estão o congelamento da expansãodos assentamentos de Israel na Cisjordânia ocupada e uma açãorepressiva da parte dos palestinos contra seus militantes. O governo dos EUA tenta fortalecer militarmente opresidente palestino, Mahmoud Abbas. Na semana passada, a Casa Branca pediu ao Congressonorte-americano por ao menos 410 milhões de dólares em fundosadicionais com vistas a aumentar as forças de segurança deAbbas em 2008 e diminuir os problemas financeiros da AutoridadePalestina. Autoridades norte-americanas afirmam ser improvável queRice anuncie a data da conferência de paz, marcada paraacontecer em Annapolis (Maryland), durante sua visita. Mas queos convites podem ser distribuídos quando a secretáriaregressar do Oriente Médio. A data mais provável para o encontro é a semana de 26 denovembro, dizem autoridades e diplomatas. Dennis Ross, enviado dos EUA ao Oriente Médio durante ogoverno do presidente Bill Clinton, afirmou que Rice pareciaestar distante de convencer Abbas e o primeiro-ministro deIsrael, Ehud Olmert, a chegarem a um acordo. "Ela depara-se com dois líderes que desejam avançar, masque, ao mesmo tempo, não possuem bases políticas fortes. Issorepresenta uma limitação", disse Ross.

SUE PLEMING, REUTERS

01 de novembro de 2007 | 11h46

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDRICEISRAEL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.