Rice volta a criticar expansão de assentamentos israelenses

EUA pedem comprometimento para acordo e dizem que fronteiras de Estado palestino serão negociadas

Efe,

26 de agosto de 2008 | 07h47

A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, voltou nesta terça-feira, 26, a criticar a expansão de assentamentos judaicos na Cisjordânia e pediu que israelenses e palestinos tomem decisões "que fomentem a confiança mútua". Em entrevista coletiva conjunta com a ministra de Exteriores israelense, Tzipi Livni, Rice assegurou que "as fronteiras do Estado palestino e de Israel serão determinadas por um acordo". "Não é nenhum segredo que comuniquei a minha colega israelense que não acho que a atividade de assentamentos ajude o processo", disse a chefe da diplomacia americana, insistindo em que nenhuma das partes deve tomar medidas que prejudiquem o resultado do "status final" do futuro Estado palestino. Livni, chefe da equipe negociadora israelense, assegurou que "o processo de paz não será afetado pela atividade nos assentamentos". "No final das contas, a política do governo de Israel não é expandir os assentamentos, nem construir novos assentamentos, nem confiscar terras palestinas", disse a ministra de Relações Exteriores, que pediu aos palestinos que não utilizem a questão dos assentamentos como uma desculpa para não negociar. Segundo a chanceler israelense, "o papel dos líderes é encontrar um modo de viver em paz no futuro e não deixar que os ruídos relacionados com a situação no terreno estes dias se introduzam no quarto de negociação". "Pelo que eu sei, a atividade nos assentamentos se reduziu da forma mais dramática, sobretudo, do outro lado da cerca", afirmou Livni. Ela admitiu que "há uma pequena atividade" na região, mas destacou que ela não influirá nas futuras fronteiras do Estado palestino. Após um breve encontro entre Rice e Livni, será realizada outra reunião a três lados com elas duas e o chefe negociador palestino, Ahmed Qorei, para avançar nas negociações de paz. Posteriormente, a secretária de Estado americana irá à cidade cisjordaniana de Ramallah, onde será recebida pelo presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas. A última visita de Rice, iniciada na segunda, é a sétima realizada pela chefe da diplomacia americana à região desde que israelenses e palestinos retomaram em novembro as negociações de paz na conferência de Annapolis, patrocinada pelos EUA.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIsraelpalestinos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.