Rival critica 'obsessão' de premiê israelense com Irã

O líder oposicionista israelense Shaul Mofaz iniciou nesta quinta-feira sua campanha eleitoral, acusando o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, de estar obcecado em bombardear o Irã.

Reuters

01 de novembro de 2012 | 17h19

Mofaz, dirigente do partido centrista Kadima, que abandonou a coalizão de Netanyahu há algumas semanas alegando divergências a respeito de como conter o programa nuclear do Irã, apresentou um cartaz em que aparece uma nuvem flamejante em forma de cogumelo, com os dizeres: "Netanyahu vai nos colocar em apuros".

As pesquisas preveem que o Kadima deixará de ter a maior bancada parlamentar em Israel na eleição de 22 de janeiro, podendo ficar com apenas quatro deputados (de um total de 120). Netanyahu é franco favorito para um novo mandato.

Em entrevista coletiva na sede do partido, em Tel Aviv, Mofaz disse que a coalizão selada nesta semana entre o partido direitista Likud, de Netanyahu, e o nacionalista Israel Beitenu, do chanceler Avigdor Lieberman, é "muito perigosa para o futuro de Israel".

Ele disse que Netanyahu e Lieberman se deixam guiar por "uma crença messiânica em bombardear o Irã".

"Netanyahu está nos levando por um caminho messiânico, rumo a uma colisão, de forma irresponsável e irracional. Não devemos deixar que Netanyahu realize sua obsessão."

(Reportagem adicional de Dan Williams)

Tudo o que sabemos sobre:
ISRAELPOLITICAIRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.