Rússia critica EUA e União Europeia por sanções adicionais contra o Irã

Kremlin se diz desapontado por ter seus pedidos ignorados; europeus devem aprovar medidas

Reuters

17 de junho de 2010 | 09h06

MOSCOU - A Rússia criticou duramente os EUA e a União Europeia nesta quinta-feira, 17, por planejarem novas sanções contra o Irã depois que o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou uma nova resolução que impõe restrições à República Islâmica por conta de seu programa nuclear, informa a agência russa Interfax.

 

Veja também:

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

lista Veja as sanções que já foram aplicadas ao Irã

 

"Estamos extremamente desapontados com os EUA e com a União Europeia que ignoraram nossos pedidos para que medida desse tipo não fossem tomadas", disse o vice-chanceler, Sergei Ryabkov, à agência.

 

Na quarta-feira, os EUA anunciaram um novo pacote de medidas econômicas contra o Irã. A União Europeia, também na quarta, aprovou a votação pela ampliação das sanções, o que deve ocorrer ainda nesta quinta-feira.

 

A Rússia, um dos membros permanentes do Conselho de Segurança, apoiou as sanções da ONU, mas só respaldou as medidas depois de negociações com as potências ocidentais, já que mantém bons laços comerciais e diplomáticos com o Irã. Anteriormente, os russos só se mostravam favoráveis à resolução se ela não afetasse significantemente o setor energético iraniano.

 

As sanções eram pretendidas pelas potências ocidentais, lideradas pelos EUA, para coibir o programa nuclear iraniano. Elas acreditam que a República Islâmica enriqueça urânio para fabricar armas nucleares. Teerã, porém, nega e diz que mantém o projeto apenas para produzir energia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.