AFP
AFP

Rússia nega uso de armas químicas em ofensiva governamental contra Duma

O general russo Yuri Yevtushenko explicou que os especialistas do seu país em limpeza química, biológica e radiativa 'recolherão dados que confirmarão que essas declarações são fabricadas'

EFE

08 Abril 2018 | 07h47

MOSCOU - A Rússia negou categoricamente neste domingo, 8, as informações sobre um suposto ataque químico realizado pelas forças governamentais da Síria no reduto rebelde da cidade de Duma, nos arredores de Damasco.

"Negamos categoricamente tal informação e, assim que for liberada a cidade de Duma dos rebeldes, nos declaramos dispostos a enviar imediatamente nossos especialistas", disse Yuri Yevtushenko, chefe do Centro de Reconciliação russa na Síria.

O general russo explicou que os especialistas do seu país em limpeza química, biológica e radiativa "recolherão dados que confirmarão que essas declarações são fabricadas".

Ele acusou "uma série de países ocidentais" de tentar impedir o reatamento da operação de evacuação de rebeldes de Duma, estancada há dois dias.

+++ Ataque do governo sírio mata ao menos 40 pessoas

"Para isso se utiliza o tema preferido de Ocidente que é o uso de armas químicas por parte das forças governamentais sírias", afirmou Yevtushenko.

A agência oficial síria, a "SANA", também rejeitou qualquer responsabilidade das forças sírias e garantiu que "as denúncias do uso de substâncias químicas em Duma são uma tentativa clara de impedir o progresso do Exército".

Segundo a ONG Capacetes Brancos, pelo menos 40 pessoas, na sua maioria mulheres e crianças, morreram no sábado por asfixia em um ataque químico contra Duma, cidade que fica nos arredores de Damasco. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.