Eduardo Di Baia/AP
Eduardo Di Baia/AP

Rússia prefere evitar sanções ao Irã, diz Medvedev

Presidente, no entanto, cogitou aceitar restrições 'consensuais e inteligentes'

14 de abril de 2010 | 22h27

Efe

 

BUENOS AIRES- O presidente russo, Dmitri Medvedev, disse nesta quarta-feira, 14, que seu país prefere evitar sanções ao Irã, mas não excluiu a possibilidade de aprová-las caso elas sejam inteligentes e consensuais.

 

Veja também:

linkPotências afirmam que encontro sobre sanções contra Irã foi 'construtivo'

linkIrã pode levar de 3 a 5 anos para concluir bomba atômica, diz Pentágono

linkReator nuclear russo no Irã ficará pronto em agosto, diz autoridade

 

"As sanções dificilmente podem produzir resultados positivos. Às vezes são evitáveis. Mas o Irã não fez nada para mostrar que mudou", disse Medvedev em uma coletiva de imprensa em Buenos Aires, onde realiza uma visita oficial.

 

O governante afirmou que "se trabalhou bem" na Conferência sobre Segurança Nuclear, celebrada nesta segunda e terça em Washington.

 

"Queremos ver se o programa nuclear do Irã está modificado. Se não estiver, podem surgir dúvidas de outros países. Não excluo a possibilidade de aprovar mais sanções por parte da ONU, mas devem ser consensuais e inteligentes. Eu preferiria evitá-las", afirmou o presidente.

 

Por sua vez, a governante argentina, Cristina Fernández, disse que todos os países, incluindo o Irã, deveriam se submeter a controles sobre suas atividades nucleares, sem que ele prejudique o desenvolvimento atômico com fins pacíficos.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaIrãsançõesprograma nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.