Sabotagem em oleoduto espalha petróleo em rio iraquiano

Equipes tentam conter desastre ambiental no Rio Tigre; atentados no país matam pelo menos 18 pessoas

Associated Press e Agência Estado,

18 de setembro de 2007 | 12h32

A explosão de uma bomba sob um oleoduto nas proximidades da cidade de Beiji, no norte do Iraque, provocou o derramamento de uma grande quantidade de petróleo no Rio Tigre nesta terça-feira, 18, informou a polícia.   A explosão ocorreu na madrugada desta terça-feira, 18, e os bombeiros só chegaram ao local depois do amanhecer, atrasando os trabalhos de contenção das chamas e do derramamento. Devido à insegurança em todo o país, os iraquianos evitam sair às ruas antes do amanhecer, até mesmo os bombeiros.   O derramamento alcançou à tarde a cidade central de Tikrit, mais de 100 km ao sul, forçando o fechamento de estações de tratamento de água na cidade. O mesmo havia ocorrido mais cedo em Beiji. Funcionários iraquianos devem tentar bloquear o derramamento na represa de Samarra, evitando que ele chegue a Bagdá.   Num comunicado, os militares dos Estados Unidos culparam militantes da Al-Qaeda pelo ataque. "Esse ato de terrorismo é bárbaro e demente. Isso demonstra que a Al-Qaeda não se importa com o povo iraquiano ou com o meio ambiente", afirmou o porta-voz militar americano tenente-coronel Michael Donnelly.   Segundo ele, funcionários da companhia petrolífera iraquiana tentavam evitar que o derramamento colocasse em perigo a vida no rio, plantações e criações dependentes de suas águas. Beiji, 250 km ao norte de Bagdá, abriga a maior refinaria de petróleo do Iraque.   Violência   A explosão de três carros-bomba e de quatro bombas plantadas em beira de estradas mataram nesta terça pelo menos 18 pessoas e feriram outras 63 em Bagdá, informaram policiais.   Um carro-bomba foi detonado às 9h30 (horário local) num estacionamento nas proximidades do Ministério da Saúde e do complexo de hospitais e do instituto forense conhecido como Cidade Saúde no centro da capital. Sete pessoas morreram e 23 ficaram feridas nessa explosão. Segundo depois, um disparo de morteiro atingiu o local, danificando 11 carros.   Outro carro-bomba explodiu na passagem de uma patrulha policial na Rua Palestina, no leste de Bagdá, matando dois civis e ferindo outros seis.   Na região de Zafaraniyah, sudeste de Bagdá, uma bomba plantada na beira de uma estrada explodiu na passagem de outra patrulha policial, matando um policial e ferindo dois pedestres. Outros dois civis morreram e seis ficaram feridos quando outra bomba em beira de estrada explodiu por volta das 9h30 (locais) perto de um microônibus na região leste de Baladiyat.   Por volta do meio-dia, um terceiro carro-bomba explodiu num movimentado mercado no bairro de Ur, norte de Bagdá, matando seis pessoas e ferindo outras 26.   Outras duas bombas plantadas em beira de estrada mataram um policial e dois civis e feriram outras oito pessoas em ataques em separado em áreas predominantemente xiitas do leste de Bagdá.   Também nesta terça, em Jalawla, 110 km a nordeste de Bagdá, uma bomba explodiu perto de uma loja de telefones celulares, matando cinco civis e ferindo outros 14. 

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueoleodutoRio Tigre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.