Secretário da ONU faz novo apelo por cessar-fogo em Gaza

Ban Ki-moon promete redobrar esforços para garantir trégua em conflito, que entrou no 19.º dia de combates

Agências internacionais,

14 de janeiro de 2009 | 10h16

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, voltou a pedir o cessar-fogo imediato na Faixa de Gaza, e prometeu redobrar seus esforços para assegurar o fim da ofensiva. Ele afirmou esperar que a proposta do governo egípcio de enviar uma nova força de paz para a fronteira sul de Gaza com o objetivo de prevenir o contrabando de armas para o território palestino, mostre resultados assim que possível.   Veja também: Norte de Israel é atingido por foguetes do Líbano Bin Laden pede guerra santa contra Israel em Gaza  Correspondente do "Estado" fala da 3ª semana do conflito Aumenta suspeita do uso de armas ilegais no conflito em Gaza Conflito em Gaza vira guerrilha urbana  Secretário-geral da ONU apela por trégua Especial traz mapa com principais alvos em Gaza  Linha do tempo multimídia dos ataques em Gaza  Bastidores da cobertura do 'Estado' em Israel  Conheça a história do conflito entre Israel e palestinos   Veja imagens de Gaza após os ataques      A principal autoridade das Nações Unidas iniciou no Egito um cronograma de uma semana de viagens para encerrar a crise na Faixa de Gaza. A ofensiva israelense em Gaza, iniciada em 27 de dezembro, já matou mais de mil palestinos. "Meu pedido é por um fim imediato da violência em Gaza", disse Ban, pedindo tanto o fim da ação militar quanto do lançamento de foguetes pelo grupo islâmico Hamas, que controla a Faixa de Gaza. As declarações foram feitas após encontro do sul-coreano com o presidente egípcio, Hosni Mubarak.   Segundo a BBC, a ideia dos negociadores é tentar convencer Israel a abrir pontos de cruzamento na fronteira para permitir a entrada de suprimentos no território palestino. "É intolerável que os civis carreguem o fardo desse conflito, disse Ban. "As negociações devem ser intensificadas e providos as arranjos e garantias a fim de se manter um cessar-fogo durável e a calma". Na semana passada, Mubarak e o presidente francês, Nicolas Sarkozy, lançaram uma proposta para obter uma trégua nos confrontos, que seria seguida por um cessar-fogo permanente e o aumento da segurança na região fronteiriça.   Ban também se dirigirá para Jordânia, Israel, a Cisjordânia, controlada pela Autoridade Palestina, Turquia, Líbano, Síria e Kuwait. Neste último haverá um encontro econômico da Liga Árabe que deve discutir a crise de Gaza. O Egito tem mantido conversas separadas com representantes do Hamas e de Israel. Os dois lados se recusam a negociar diretamente.   Enquanto isso, continuam os confrontos entre soldados israelenses e militantes palestinos na Cidade de Gaza. Aviões israelenses seguiram bombardeando a região, e Israel disse que suas tropas praticamente cercaram a cidade. Em Israel, o governo começa a dar os primeiros sinais de divergências internas. Segundo a BBC, o ministro da Defesa, Ehud Barak, quer diminuir a ofensiva em Gaza, enquanto o primeiro-ministro, Ehud Olmert, defende uma escalada dos ataques.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelpalestinosONUFaixa de GazaHamas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.