Sem combustível, Faixa de Gaza vê preço recorde de burros

O preço dos burros atingiuníveis recordes na Faixa de Gaza, território palestinocontrolado pelo Hamas, desde que Israel interrompeu o enviopara a região de peças de carro e carregamentos de combustível. "Nos últimos tempos, os burros têm funcionado melhor que oscarros", disse o comerciante Odeh Odwan. Segundo Odwan, ospalestinos não estão conseguindo pagar pelos carros e pelagasolina, ou nem mesmo encontrá-los. O comerciante calcula que os preços de um animal desse naregião quase dobraram, para 420 dólares cada, um montantepequeno quando comparado com o preço dos carros e da gasolina. "Chegou a hora de os burros ficarem orgulhosos", afirmouOdwan, enquanto mantinha vários animais presos por uma corda emum movimentado mercado do leste da cidade de Gaza, nasexta-feira. Depois de o grupo militante Hamas ter assumido o controleda Faixa de Gaza, em junho, Israel tornou mais rígido ocontrole sobre as fronteiras do território, limitando asimportações a quase exclusivamente materiais humanitários. As peças sobressalentes para carros não entram mais noterritório e Israel resolveu limitar o envio de combustíveispara a região após declará-la uma "entidade inimiga", emsetembro. Apesar de os burros serem mais baratos do que os carros, osproprietários dos animais costumam reclamar dos altos custospara sustentá-los. "Eu faturo cerca de 20 shekels (5 dólares) por dia. Quasemetade desse dinheiro é gasto com a comida do burro", afirmouAbu Faisal, sentado em uma carroça puxada por um burro ecarregada com botijões de gás vazios. A fim de reduzir os custos, muitos proprietários dão lixoencontrado nas ruas para seus animais comerem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.