'Sem diálogo, todos reconhecerão Estado palestino', diz ministro de Israel

Binyamin Ben-Eliezer afirma ser preciso fazer o possível para voltar a negociar com palestinos

Efe,

26 de dezembro de 2010 | 15h20

JERUSALÉM- O ministro de Indústria, Comércio e Trabalho israelense, Binyamin Ben-Eliezer, afirmou neste domingo, 26, que se não houver diálogo de paz, "o mundo inteiro", incluindo os EUA, reconhecerá o Estado palestino.

 

Veja também:

especialInfográfico: As fronteiras da guerra no Oriente Médio

forum Enquete: Qual a melhor solução para o conflito?

especial Linha do tempo: Idas e vindas das negociações de paz

 

"Não me surpreenderia se dentro de um ano, o mundo inteiro reconhecesse o Estado palestino, incluindo os Estados Unidos", disse o ministro na reunião semanal do gabinete de Governo.

 

Ben-Eliezer declarou que o reatamento das conversas de paz com os palestinos -paralisadas desde setembro- é um "assunto existencial" para Israel e o Oriente Médio.

 

"Devemos fazer tudo o que esteja em nossas mãos para ir e falar com os palestinos, embora o preço seja uma moratória (à construção nos assentamentos judaicos na Cisjordânia) de alguns poucos meses", acrescentou.

 

O ministro citou como exemplo da complexa situação diplomática na qual se encontra Israel, o recente reconhecimento por quatro países latino-americanos (Brasil, Argentina, Bolívia e Equador) do Estado palestino nas fronteiras prévias à Guerra dos Seis Dias de 1967.

 

Leia ainda:

linkIsrael não deve desculpas para Turquia, diz Lieberman

linkTurquia quer paz com Israel, mas insiste em pedido de desculpas

linkMilitantes morrem em confronto com soldados de Israel

Tudo o que sabemos sobre:
Israelpalestinanegociações de paz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.