Senador americano defende queda do governo do Iraque

Para democrata Carl Levin, país necessita de um Executivo mais unificador e menos sectário para progredir

Efe,

21 de agosto de 2007 | 08h10

Um importante senador dos Estados Unidos, Carl Levin, defendeu na segunda-feira a destituição do primeiro-ministro do Iraque, o xiita Nouri al-Maliki, e o restante de seu governo, para formar em seu lugar um Executivo mais amplo e menos sectário, informaram nesta terça-feira, 21, dois jornais americanos. "Espero que o Parlamento iraquiano vote para destituir o governo Maliki e que tenha a sabedoria para escolher um primeiro-ministro e um governo mais unificadores e menos sectários", declarou Levin, segundo o jornal Washington Post. O democrata, que preside a Comissão sobre as Forças Armadas do Senado, falou após uma visita de três dias ao Iraque e à Jordânia em companhia de outro membro da Comissão, o senador republicano John Warner, segundo o Detroit Free Press. Num comunicado conjunto, os dois senadores veteranos aconselharam os iraquianos a instalar no poder um verdadeiro "governo de unidade", no caso previsível do fracasso de Maliki em suas tentativas de conseguir que os sunitas voltem ao Gabinete. A Casa Branca, reagindo às declarações de Levin, insistiu que Maliki poderá superar a crise atual e obter um acordo entre os diferentes partidos e facções.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueNouri al-MalikiCarl Levin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.