Seqüestradores de britânicos pedem que tropas deixem o Iraque

Grupo xiita possui 5 reféns; em vídeo, insurgentes não dizem o que aconteceria se demanda não for atendida

REUTERS

04 de dezembro de 2007 | 12h14

Os seqüestradores de cinco cidadãos britânicos capturados no Iraque desde maio deste ano deram um prazo para o Reino Unido deixar o país em um vídeo transmitido pela emissora de TV Al-Arabiya nesta terça-feira, 4.   O vídeo tem data de 18 de novembro e estabelece um limite de 10 dias para a retirada das tropas britânicas do território iraquiano.   Os seqüestradores não disseram o que fariam se a exigência não fosse cumprida.   Um dos reféns, que aparece no vídeo sentado diante de um cartaz da Resistência Islâmica Xiita no Iraque, diz que a fita foi gravada no dia 18 de novembro.   "Meu nome é Jason. Hoje é 18 de novembro. Estou aqui há 173 dias e sinto como se tivéssemos sido esquecidos", diz o homem.   No dia 29 de maio de 2007, cerca de 40 atiradores em uniformes policiais e veículos utilizados pelas forças de segurança iraquianas seqüestraram os cinco britânicos no complexo do Ministério das Finanças Iraquiano.   Na épocas, as suspeitas recaíram sobre uma milícia ligada ao clérigo xiita Muqtada al-Sadr. No entanto, o grupo condenou a ação, o que fez com que os Estados Unidos desconfiassem de um grupo xiita supostamente comandado pelo Irã.   Quatro dos seqüestrados eram seguranças de uma firma canadense e o quinto funcionário de uma empresa de consultoria.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUESEQUESTRADOSSAIDA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.