Sequestradores em uniforme militar matam 18 homens perto de Bagdá

A polícia iraquiana encontrou nesta sexta-feira os corpos de 18 homens que foram sequestrados pela manhã em suas casas e executados com tiros na cabeça em uma cidade perto de Bagdá, no pior caso este ano de uma série de chacinas em todo o Iraque.

RAHEEM SALMAN, Reuters

29 de novembro de 2013 | 12h44

Os corpos foram encontrados agrupados em um pomar em Meshahda, uma área predominantemente muçulmana sunita, situada cerca de 32 quilômetros ao norte de Bagdá. Uma fonte policial culpou a Al Qaeda.

Esse tipo de matança está em alta no Iraque, bem como uma crescente ofensiva de atentados e ataques a tiros por parte de grupos insurgentes, tendo como alvo forças da segurança e civis.

As vítimas foram levadas de suas casas na manhã desta sexta-feira por homens usando uniformes militares, em seis carros utilitários, disseram fontes policiais. Dois dos sequestradores estavam em trajes de oficiais do Exército.

"É definitivamente a Al Qaeda porque esta é a área onde ela opera", afirmou uma autoridade da polícia federal do Iraque, que não quis se identificar. As vítimas podem ter sido escolhidas por servem vistas como partidárias do governo de maioria xiita, segundo a fonte.

(Reportagem adicional de Raheem Salman e Suadad al-Salhy)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUESEQUESTROCHACINA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.