Stringer/ Reuters
Stringer/ Reuters

Série de ataques mata pelo menos 35 pessoas no Paquistão

Militantes do Taleban reivindicam autoria das ações, que atingiram prédios da polícia em duas cidades do país

estadao.com.br,

15 de outubro de 2009 | 09h17

Pelo menos 35 pessoas morreram no Paquistão nesta quinta-feira, 15, em mais um dia de violência no país. Uma série de ataques de extremistas atingiram prédios da polícia na cidade de Lahore; um carro bomba explodiu próximo a uma delegacia policial em Kohat, no noroeste do país; e uma segunda explosão foi divulgada pelo polícia em um bairro residencial de Peshawar. Os taleban reivindicaram o múltiplo atentado, que já foi condenado pelo primeiro-ministro do Paquistão, Yousef Raza Guilani, e que se soma à nova onda de violência insurgente que afeta o país nos últimos dez dias.

 

As autoridades paquistanesas disseram ter recuperado o controle do último centro policial onde ainda havia enfrentamentos com os insurgentes na cidade de Lahore. Segundo fontes, as forças de segurança conseguiram "resgatar" vários reféns em poder dos terroristas, que iniciaram esta manhã uma série de ataques contra três importantes instalações da Polícia em Lahore, capital da província do Punjab.

 

Distintas fontes policiais confirmaram até o momento a morte de 35 pessoas - três funcionários, quinze membros das forças de segurança e dezessete insurgentes.

 

Os ataques começaram às 9h50 hora local (0h50 de Brasília), quando um grupo insurgente atacou o escritório de investigação federal (FIA), fazendo vários reféns, até que a Polícia retomou o controle da situação. De acordo com fonte consultada pela Efe, esse primeiro ataque causou a morte de cinco pessoas do centro - três funcionários e dois policiais -, enquanto quatro terroristas foram abatidos pelas forças de segurança e, segundo o canal Dawn TV, um deles foi detido.

 

Quase simultaneamente, os insurgentes organizaram um duplo ataque suicida, seguido de tiroteio, que causou a morte de seis policiais e feriou outros sete na academia de cadetes de Manawan, uma instituição nos arredores da cidade que já tinha sido atacada em março. Nesta ação morreram também cinco insurgentes, entre eles os dois suicidas.

 

"Os terroristas - disse o titular paquistanês de Interior, Rehman Malik, em declarações emitidas pelo canal Express TV - serão eliminados a todo custo. A situação está sob controle. Que não se estenda o pânico".

 

Um total de 128 pessoas morreram em quatro grandes ataques que aconteceram nos últimos dias nas localidades de Islamabad, Rawalpindi, Peshawar e Alpuri. O Exército paquistanês prepara desde junho uma grande operação para atacar bases insurgentes no grande reduto dos taliban no país, a região tribal do Waziristão do Sul (noroeste).

 

(com Efe e BBC)

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.