Setenta e cinco africanos morrem em barco no Mediterrâneo

Cerca de 75 imigrantes africanos morreram no Mediterrâneo após ter acabado a comida e água do barco em que estavam, informou nesta sexta-feira a Organização das Nações Unidas (ONU), atribuindo a informação aos únicos cinco sobreviventes do que classificou como uma "tragédia chocante".

REUTERS

21 de agosto de 2009 | 13h08

Os imigrantes, principalmente eritreus, embarcaram há três semanas em um pequeno barco em Trípoli, na Líbia, para atravessar o mar. O combustível acabou após três dias, e muitas embarcações passaram por eles sem oferecer ajuda, disse a jornalistas o Alto Comissariado da ONU para Refugiados.

Funcionários da alfândega italiana encontraram o barco na quinta-feira. Um navio de pesca chegou a oferecer pão e água, mas depois se afastou dos imigrantes, ele disse.

(Reportagem de Stephanie Nebehay)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAIMIGRANTESDESASTRE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.