Síria acusa Turquia de enviar terroristas para guerra no país

A Síria acusou nesta quinta-feira a Turquia de exercer um "papel fundamental" no apoio ao terrorismo por abrir seu aeroporto e sua fronteira à Al Qaeda e a outros militantes islâmicos para promover ataques dentro da Síria.

Reuters

02 de agosto de 2012 | 15h38

Aliados no passado, a relação dos dois países rapidamente se deterioraram com a intensificação da repressão do presidente Bashar al-Assad ao levante contra o seu governo, que já dura 17 meses.

O primeiro-ministro turco, Tayyip Erdogan, pediu que Assad renuncie e montou um acampamento de refugiados ao longo da fronteira para abrigar milhares de sírios em fuga.

Diversos oficiais militares desertaram para a Turquia e o comandante do Exército de Libertação Síria, um grupo de insurgentes que combate as forças de Assad, também está baseado ali.

"O governo turco exerce um papel fundamental no apoio ao terrorismo ao abrir seu aeroporto e suas fronteiras para abrigar elementos da Al Qaeda, jihadistas e salafistas", afirmou o Ministério das Relações Exteriores da Síria em um comunicado veiculado na televisão estatal.

"O governo turco estabeleceu em seu solo escritórios militares onde agências de inteligência israelenses, americanas, catarianas e sauditas dirigem os terroristas na guerra contra o povo sírio", disse o comunicado.

O governo sírio também acusou a França e os Estados Unidos de enviar equipamento de comunicação aos rebeldes.

Fontes norte-americanas dizem que o presidente Barack Obama assinou uma ordem secreta autorizando o apoio dos EUA aos rebeldes que tentam depor Assad.

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIATURQUIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.