Síria aponta 'ato terrorista' em morte de dirigente do Hezbollah

O assassinato do comandante do grupoislâmico xiita Hezbollah Imad Moughniyah, ocorrido naterça-feira Damasco, foi um "ato terrorista", disse naquarta-feira o ministro sírio do Interior, Bassam Abdel Majeed. Na primeira reação oficial ao atentado, o ministro disse àagência estatal síria de notícias que uma investigação vaiapontar os responsáveis pelo carro-bomba que matou Moughniyahna capital síria. O Hezbollah acusou Israel pelo ataque, mas o Estado judeunegou envolvimento. (Reportagem de Khaled Yacoub Oweis)

REUTERS

13 de fevereiro de 2008 | 18h34

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIAHEZBOLLAH

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.