Síria e Irã são assunto principal na visita de Cheney a Israel

O vice-presidente americano realizou uma maratona de reuniões em Israel, que completará em Ramala

Efe

23 de março de 2008 | 14h44

O vice-presidente dos Estados Unidos, Dick Cheney, ressaltou neste domingo, 23, em suas reuniões com líderes israelenses sua desconfiança em relação à Síria e ao Irã, após manifestar o "compromisso" de Washington com a "segurança de Israel". A administração Bush "está ativamente envolvida em tratar as ameaças que vemos surgir na região, que não são ameaças só para Israel, mas também para os EUA", disse, depois de se reunir com o presidente israelense, Shimon Peres, segundo a imprensa local. Cheney realizou neste domingo, 23, uma maratona de reuniões em Israel, que completará esta tarde na cidade cisjordaniana de Ramala com o encontro com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, e seu primeiro-ministro, Salam Fayyad. O vice-presidente americano se reuniu com o chefe da oposição israelense, o ex-primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, que advertiu a seu interlocutor que "o Hamas e o Irã tomarão o controle de Jerusalém" se Israel "abandonar" a cidade. O Irã, de novo, e a Síria centraram a posterior reunião de Cheney com Shimon Peres.O político americano, firme defensor de Israel, lembrou a Peres que Washington "está muito preocupado pelo fato de a Síria fornecer armamento" à milícia xiita libanesa Hisbolá, que enfrentou o Estado judeu em meados de 2006. Cheney também fez referência em sua conversa com Peres ao conflito palestino-israelense, e disse que a Administração americana fará "tudo o possível" para "impulsionar" o processo de negociação lançado em novembro na conferência de paz de Annapolis (EUA). Peres deixou claro que seu país "nunca aceitará ceder as Colinas do Golã em troca de um Líbano cntrolado pelo Irã e pela Síria".  "As conversas de paz com a Síria nunca começarão enquanto continuar fornecendo armas ao Líbano", sentenciou.

Tudo o que sabemos sobre:
Dick CheneyIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.