Solana menospreza chances de avanço em negociações com Irã

Javier Solana, chefe da área depolítica externa da União Européia (UE), confirmou naquarta-feira que deve viajar em breve ao Irã para apresentaruma oferta de incentivos elaborada por potências internacionaiscom o objetivo de convencer os iranianos a suspender seuprograma nuclear. Solana, no entanto, considerou pequenas as chances de haveralgum avanço importante. "Eu não espero milagres, mas acho importante continuar aestender a mão para os iranianos", afirmou ao ParlamentoEuropeu a autoridade, encarregada de explorar as possibilidadesde negociar com o Irã. Solana não citou uma data específica para a visita, e seugabinete não confirmou o dia 14 de junho como foi anunciado naterça-feira pelo embaixador norte-americano junto à Organizaçãodas Nações Unidas (ONU), Zalmay Khalilzad. Os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança daONU -- EUA, França, Grã-Bretanha, China e Rússia -- mais aAlemanha elaboraram semanas atrás um pacote de incentivos a serapresentado ao Irã. As potências internacionais, porém, encontram dificuldadepara marcar um encontro com autoridades iranianas a fim dedescrever-lhes as propostas. A oferta, que se baseou em outra apresentada em 2006,conclama o Irã a abrir mão do enriquecimento de urânio em meioa um programa que, segundo potências ocidentais, seria usadopara o desenvolvimento de armas atômicas. O Irã afirma que seuprograma nuclear visa exclusivamente à produção de energiaelétrica. Na terça-feira, Khalilzad disse a repórteres que,dependendo dos resultados da missão de Solana, as grandespotências conversariam a respeito da próxima medida a seradotada pelo Conselho de Segurança. A entidade já aprovou três rodadas de sanções contra o Irã,a mais recente delas no dia 3 de março. (Por Mark John e David Brunnstrom) REUTERS FE

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.