Soldados do Hezbollah impõem controle sobre Beirute

O grupo libanês Hezbollah, apoiado peloIrã, tomou o controle da parte muçulmana de Beirute nasexta-feira, o que representa um grande prejuízo para o governoapoiado pelos Estados Unidos. Fonte ligadas às forças de segurança disseram que pelomenos 11 pessoas foram mortas e 30 ficaram feridas nos trêsdias de batalhas entre atiradores a favor do governo emilitantes leais ao Hezbollah, movimento político xiita que temum poderoso exército de guerrilha. Os combates, que são os piores desde a guerra civil(1975-90), começaram nesta semana quando o governo tomoudecisões contra o sistema de comunicações militares doHezbollah. O grupo disse que o governo declarou guerra. Em cenas que lembram os piores dias da guerra civil, homensarmados com rifles rondavam as ruas em meio aos carrosdestruídos e prédios em chamas. O som de tiros e granadas explodindo ecoam pela cidade, queainda está sendo reconstruída depois da guerra civil. Entre as vítimas, estavam uma mulher e seu filho de 30anos, mortos enquanto tentavam fugir de Ras al-Nabae --umdistrito misto de xiitas e sunitas, cena de alguns dos pioresconflitos. "Eles tentavam escapar para as montanhas... Chegaram aohospital mortos", disse um parente das vítimas, que serecusaram a informar os nomes das vítimas por questões desegurança. A Arábia Saudita, forte apoiadora da coalizão governista,pediu uma reunião de emergência entre os ministros árabes deRelações Exteriores, segundo a televisão Al Arabiya. Um líder pró-governo pediu diálogo. "O partido, apesar de seu poder militar, não pode anular ooutro", disse Walid Jumblatt, líder da minoria drusa, vinculadaao cristianismo, ao canal LBC. "Só o diálogo já trazresultados. Fugir do diálogo não é útil." O Hezbollah tomou o controle de sedes de empresas de mídiade propriedade de Saad al-Hariri, líder da coalizão do governoe mais importante político libanês. Suas redes de rádio e TVsaíram do ar. O grupo, que também tem o apoio da Síria, está tomando osgabinetes de facções governistas, na metade muçulmana dacidade. Eles também tentam controlar os gabinetes do Exército--que tenta ser neutro em relação à crise. Um fonte ligada à segurança disse que o Hezbollah e seusaliados controlaram toda a metade muçulmana de Beirute depoisque seus oponentes entregaram as armas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.