Soldados israelenses são presos por protesto pró-colonos

Dois soldados israelenses que levantaram uma bandeira de apoio a colonos judeus em território palestino ocupado foram dispensados de sua brigada de infantaria e presos no domingo, afirmou uma porta-voz do Exército.

REUTERS

25 de outubro de 2009 | 16h07

O protesto ocorreu durante uma parada militar no Muro das Lamentações, em Jerusalém, na quinta-feira, e fez manchete em Israel.

A recente pressão dos Estados Unidos por um acordo de paz na região aumentou o debate sobre as colônias israelenses na Cisjordânia, onde os palestinos querem estabelecer um Estado.

Imagens de televisão mostram os soldados da brigada Kfir, que tem operações na Cisjordânia, segurando uma bandeira que diz, em hebraico, "O Regimento Shimshon Não Irá Remover Casas" -- referência a uma colônia próxima de Nablus desfeita pelo Exército de Israel em 2005.

Um tribunal militar sentenciou o dois soldados a 20 dias na cadeia e os dispensou de sua unidade por causa do incidente. Os soldados devem passar o resto de seu tempo de serviço militar obrigatório cumprindo apenas tarefas menores.

O governo de Barack Obama afirmou na quinta-feira que Israel tem mostrado "disposição para conter atividades de colonos", embora o primeiro-ministro do país, Benjamin Netanyahu, venha resistindo a pedidos dos EUA para que suspenda de vez a construção de colônias em territórios palestinos.

(Texto de Dan Williams)

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDISRAELENSES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.